Edilázio, na ponta do nariz

Gera desconfiança o pedido impeachment contra o governador Flávio Dino (PCdoB) pelo deputado estadual Edilázio Júnior (PV) baseado numa potencializada notícia de uso indevido do serviço reservado da Polícia Militar para bisbilhotar os políticos do grupo Sarney.

Caso os deputados aliados aos Leões estejam saciados da gulodice para a campanha eleitoral o pedido nem vai encontrar o caminho do plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão.

Curioso que a gestão estadual do grupo Dino poderia ter investigado legalmente os governos de Roseana Sarney (MDB). Mesmo acusado de perseguidor, Flávio Dino (PCdoB) perdeu a chance de passar o Maranhão a limpo.

Criaram uma secretaria específica para auditar os desvios no executivo estadual, nunca exerceram essa função em relação ao passado, ficaram contidos na fiscalização do próprio governo.

Numa leitura básica, José Sarney (MDB) convocou o genro da cunhada Nelma Sarney para requentar a notícia na tentativa de criar uma improbidade eleitoral.

Resta saber a compensação eleitoral ao Edilázio Júnior (PV) para suprir a falta da desembargadora avalista de suas campanhas depois da perda da presidência do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Talvez seja a hora dos dinistas começarem a soltar os conteúdos de corrupção nos governos passados e no judiciário do Maranhão.

Saber, eles sabem muito. E como sabem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.