Coluna Aparte – E, passou, uma semana

Nada demais aconteceu que nossos olhos não tenham visto. Podemos dizer, tal qual era, tal qual está.

Verdade que muitos continuam rezando pela recuperação do governador Carlos Brandão (PSB), outros não, quando o papel está no pré-candidato, quanto mais tempo de molho melhor. Muitos concorrentes mandam, diariamente, os seus panfletistas, encomendar a alma do moço dos Leões. Questão fica resistência do sangue sertanejo, difícil a mentira matar para enterrar.

Nenhuma novidade na milionária pré-campanha do Weverton Rocha (PDT), somente abraços, suor, beijos, com o mesmo discurso no hangar do foguete que não recua para trás. Desejou, lá no começo, boa recuperação ao que ocupa seu lugar de preferido do Dino, mas sua turma não. Sorte que todas as religiões gostam do Brandão. Por enquanto, nem um, nem ninguém, fez um Maranhão mais feliz.

Parece que Flávio Dino (PSB) e seu sucessor de poder, Felipe Camarão (PT), botaram gasolina no carro para percorrer pelos municípios cobrando dos ex-aliados vergonha na cara depois de oito anos dizendo que o seu governo foi o melhor da história na política no estado. Propostas para acabar a miséria, bem, por enquanto, nenhuma!

Quanto a elegância, no mando e comando dos palácios, continua estacionada com o Paulo Velten e o Othelino Neto (PCdoB) sem um ato de intriga ou de raspar o fundo do tacho quente na corrida eleitoral. Ambos mantêm os papeis de chefes dos poderes, permitindo a estabilidade do executivo, legislativo e judiciário. Quem dera se todos fossem maduros assim!

E começa uma nova semana, nem precisa mudar a charge!

  • Coluna Aparte publicada na segunda-feira, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do genial do Nuna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.