Coluna Aparte – Ringue

Determinado pelo governador Flávio Dino (PSB) o período do UFC eleitoral entre os pré-candidatos para a vaga majoritária na eleição de 2022. Naturalmente as regras jamais serão seguidas pelos sedentos lutadores na luta principal pelo poder no Maranhão.

Instigado pelo Weverton Rocha (PDT) com a provocação que “Treino é treino” o tranquilo Carlos Brandão (PSDB) fica na posição de “Vem que te espero” no seu canto do ringue enquanto o juiz Dino avisa que porrada segura, para valer, somente depois da sua autorização de juiz quando chegar o mês de novembro. Todos devem ficar obedientes, somente mostrando os músculos de apoios políticos.

Nem por brincadeira ou mesmo reverência, os brigões devem obedecer às regras impostas pelo decididor mor, caso não possam engatar no tablado oficial devem continuar trocando provocações nas ruas, terreno livre para mais diversas baixarias.

Enquanto Simplício Araújo (Solidariedade) tenta encontrar uma forma de inclusão no bloquinho de pretensos convocados do magistrado, muitas vezes levando pitos por querer ser a voz do período de permanência do governador no mandato, o Zen, mesmo sendo evangélico, Edivaldo Holanda (PSD) fica na harmonia observando as confusões enquanto conquista espaços no sorriso do bom papo.

Nenhum outro aspirante tem mostrado preparo físico e sangue na saliva para conseguir o cinturão de possível vencedor. Todos devem estar torcendo para os ansiosos atletas suarem até desidratar antes do sino iniciar o primeiro round.

Assim vai e vem a maratona, nenhuma proposta inteligente surge para conseguir tirar a população da miséria absoluta com comida na mesa e emprego digno.

  • Coluna Aparte publicada na segunda-feira, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.