Flávio, na ponta do nariz?

Estranhos acordos selados entre os partidos, padrinhos sacramentados determinando o batismo de fidelidade dos pré-candidatos, finalizando com a organização das convenções para mostrar força de unidade sem revelar os descontentamentos dos bastidores.

Todos, os agora, grupos eleitorais temporários, afirmam estarem prontos para a campanha mais complexa de São Luís. Todos, indiscutivelmente, fizeram suas estruturas partidárias espalhando que o governador estava abençoando.

Então, como entender o fato do Flávio Dino (PCdoB) não emitir um murmúrio para a sede de poder dos senhores donos dos partidos pensando em 2022 quando o chefe do executivo não será mais ele?

Empolgados, melhor, desesperados em ganhar a eleição na capital, os pré-candidatos fizeram qualquer acordo pelos minutos na TV.

Agora, imaginem, se o Duarte Jr. (Republicanos) estiver no segundo turno quem vai falar grosso ser o responsável?

Evidente, ele, o inigualável Josimar de Maranhãozinho (PL). Brandão nem existe mais!

Inacreditável, vai ser assistir, na imprensa nacional, a notícia que o Neto Evangelista (DEM) chegou ao segundo turno pelo simples fato de ser o candidato de Roseana Sarney (MDB) na terra dos comunistas.

Podemos acreditar que Flávio Dino (PCdoB) vai deixar todos rasparem a ponta do seu nariz calado e inerte até o segundo turno?

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.