Coluna Aparte – Famem, reconhecimento nacional e local

Cenas de reconhecimento dos dirigentes da CNM, leia-se o presidente Paulo Ziulkoski, e prefeitos de todo o Brasil, se tornou constante durante a XXV Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios quando a dupla Ivo Rezende (PSB), presidente da Famem, acompanhado pelo ex-Diretor-Geral da entidade, Miltinho Aragão (PSB), passavam pelos diversos ambientes e nos palcos do maior encontro municipalista da América Latina. Sempre citados como figuras de grande alcance pela capacidade em promover a unidade dos 217 municípios maranhenses e identificados pela gestão competente, articuladora e técnica, ampliando os espaços nos poderes do Maranhão e nacional aos gestores e assessores. Pensa que ficaram satisfeitos?

Nem pousou direito na capital do Maranhão, o avião que estava teve de arremeter na pista do aeroporto “internacional” Cunha Machado, trazendo na bagagem a economia de bilhões em reais com a redução na porcentagem da desoneração na folha dos municípios brasileiros, anunciado pelo presidente Lula (PT), após a longa batalha da Famem e a CNM no Congresso Nacional. Para completar, conseguiu o maior acordo judicial da história do Maranhão com o governador Carlos Brandão (PSB) assinando o pagamento de R$ 135 milhões do ICMS devido aos municípios maranhenses.

Mesmo com a sua licença eleitoral no papel de principal dirigente Famem, da vice-presidência da CNM, no Conselho Federativo do Palácio do Planalto e de membro titular na SUDAM, vai continuar, como prefeito de São Mateus, fortalecendo a caminhada que já virou história na boca do povo!

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, na página Política, no jornal O Imparcial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *