Coluna Aparte – Sobrou para a fome?

Estarrecedor a passividade da população brasileira diante do montante de R$ 5 bi que será gasto para eleger os pré-candidatos ao executivo e legislativo em todas as esferas, nesta eleição, em outubro.

Dizem que temos somente trinta e três milhões de pessoas passando fome, repito, passando fome, sem nada para comer, nenhum alimento, sabendo que a miséria deve continuar sendo uma constante em todo o país, e, principalmente, no Maranhão.

Observando as filas nos “Restaurantes Populares” quase não vemos pessoas abaixo da linha da miséria tentando salvar o estômago com, ao menos, o almoço. Fica aberto diariamente, em muitos municípios, no vai quem quer, come quem pode, mesmo sendo cobrado o preço de R$ 1 real. Faltando cobrar das autoridades o entendimento do serviço de matar a fome para todos, será que a maioria das pessoas conseguem pagar?

Impossível acreditar que os políticos vão ficar satisfeitos somente com o dinheiro público, sabendo que as propostas deixaram de iludir os eleitores, novamente será o compra voto. Evidente que o caixa dois vai ser o complemento para eleger os mesmos de sempre, fazendo o mesmo de sempre.

Somente com denúncias fica inviável apurar os desvios, poucos fazem por medo, sabem que a justiça eleitoral precisa de olhos apurados e braços longos para chegar aos criminosos eleitorais. Pior saber que quem financia o por debaixo dos panos depois cobra com a corrupção, roubando o dinheiro que poderia matar a fome. Sempre o mesmo padrão!

  • Coluna Aparte publicada nesta sexta-feira, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do genial Nuna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.