Coluna Aparte – Dona Morte

Inevitável assistirmos novamente o Brasil parar com o aumento no volume da pandemia, infectando os brasileiros com uma mutação da COVID 19 mais contagiosa, tendo o cruel fator de maltratar com mortes em escalas nunca vividas no sistema de saúde.

Evidente que o governo federal tenta preparar uma nova versão que aponte os governadores e prefeitos como culpados pela desgraça coletiva nos estados e municípios, caso os ministros do Supremo Tribunal Federal continuem enquadrando o presidente Jair Bolsonaro (ainda seu partido) para calar a mentira de que não pode fazer nada pelo povo.

Para encurtar as palavras, resta saber como foi o estudante Flávio Dino (PCdoB) na matéria de matemática para conseguirmos calcular a precisão dos seus cálculos na perda eleitoral em 2022 caso tenha coragem de decretar um novo lockdown, sem esquecer que o primeiro pedido partiu do Ministério Público Estadual, aceito pela justiça, sendo que a culpa ficou com o comunista.

Podem também deixar o povo morrer com o comércio aberto para a satisfação dos sedentos empresários. Quem sabe o governador envia um WhatsApp para a “Dona Morte” pedindo uma extensão de prazo nos milhares de óbitos, alegando que não teremos mais leitos na rede pública e privada, lembrando que algum dia, até o próximo ano, vamos estar todos vacinados.

Dizem ser possível ouvir o pleito político, problema saber se a figura da foice limpa bem os tímpanos.

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do genial Nuna com Zé Maranha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.