Coluna Aparte – Estamos com medo

Acordamos com a certeza que querem nos matar, pode ser pela violência dos bandidos ou dos policiais, do trânsito, no sistemático assassinato das mulheres e homossexuais e na fome de milhões abaixo da linha da miséria. Categorias de mortes não faltam diante da perversidade humana.

Descobrimos que existe no Brasil pessoas sádicas assistindo, dos palácios, os brasileiros morrerem asfixiados, enquanto sugam o oxigênio para debaterem o poder. Indiscutivelmente, conseguiram criar o pânico coletivo que paralisa a reação de uma nação. Talvez sentindo medo.

Chegamos ao ponto que tudo falado ou escrito fica no vácuo do sabemos. Nada e nenhum político consegue a diferença. Exatamente nenhum. Lembrando que os Ministérios Públicos, ou seriam mistérios, continuam parados, congelados, talvez por medo.

Nem vale a pena falar do judiciário. Como bons morcegos, escondidos nas togas negras que as vezes saem do fundo escuro das cavernas. Talvez por vergonha, talvez com medo.

Sim, estamos com medo, mentes e mãos perigosas dominam nossos destinos enquanto aguardamos as doenças nos alcançar para decidirem o quanto mais vamos viver nos cilindros dos respiradores.

Quem está como nossos inimigos na vida, os vírus ou os senhores com autoridade?

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.