Coluna Aparte – Merenda alheia

Tempos passados, havia o costume de levar a merenda para saborear na hora do recreio, alguns levavam na merendeira, os demais compravam nas lanchonetes das escolas. Quando sobrava um dinheiro.

Naquela época, figuras propositalmente esqueciam os pães com mortadela em casa somente para filar do colega, parecia que era mais gostoso, agregado ao sabor da malandragem de ganhar na lábia as guloseimas do vizinho.

Curiosamente, alguns políticos trouxeram esse estranho costume para dias atuais fisgando para suas autorias obras de outros governantes. Muitos fizeram, outros continuam fazendo com uma segunda inauguração ou visitando para criar um cenário na mídia como fosse construído pelo seu grupo no poder.

Beirou ao ridículo a forçada visita do senador Roberto Rocha (PSDB) ao recém inaugurado Residencial José Chagas, na Ilhinha, trazendo o ministro Rogerio Marinho pelo cangote para afirmar que a obra pertence ao governo Bolsonaro.

Hilário ficou a confusão do senador em afirmar que a obra foi iniciada na gestão do então secretário das Cidades, Hildo Rocha (MDB), no período que a governadora era Roseana Sarney (MDB) tendo como presidente Dilma Rousseff (PT).

Ficou literalmente uma gororoba a tentativa de descaracterizar a assinatura do governador Flávio Dino (PCdoB) como a gestão que iniciou, construiu e entregou os apartamentos somado a uma bela praça para a comunidade que morava em palafitas.

Nem vale discorrer a chacota provocada pela ânsia de atacar o predileto inimigo eleitoral e pessoal. Fatos que servem para os causos na boca do povo mostrando que o parlamentar falhou na tentativa de bicar a merenda do ex-colega.

Deu azia!

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.