Coluna Aparte – Blocão do Dino

Viável entender que os políticos e partidos aliados façam suas indicações para compor a gestão estadual reeleita. Inviável compreender que nomes estranhos e com complicados comportamentos sejam obrigatórios ao governador Flávio Dino (PCdoB).

Muitos políticos fizeram bico de zanga quando apadrinhados e parentes não foram aceitos para compor a elite do primeiro escalão.

Preciso na sua administração, o chefe do executivo mescla a operacionalidade e poder de votos dos nomeados fazendo a leitura do mapa eleitoral que permita fechar todos os cercos contra a oposição estadual e nacional.

Pouco interessa o nome ou sobrenome e partido de origem, quando um gestor apronta uma “cagada” quem paga o preço final é o ocupante dos Leões.

Neste segundo mandato, Flávio Dino soube pinçar nomes de trajetórias competentes, outros que precisam de testes com aprovação do Imetro popular e, aqueles, durante o mandato necessitam de empurrões para sair do passo tartaruga.

Faz parte, sempre teve desses tipos e qualidades. Importante que nenhum anúncio sofreu rejeição pública, ponto fundamental para um governante regional que está inserido na lista dos pré-candidatos a presidente do Brasil em 2022.

Olho nos meninos, Dino!

  • Coluna Aparte publicada nas segundas-feiras, na página Política, no jornal O Imparcial.
  • Charge do Nuna.

1 pensou em “Coluna Aparte – Blocão do Dino

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.