TCE, transição democrática

Naturalmente o conselheiro Caldas Furtado poderia almejar um novo mandato como presidente do Tribunal de Contas do Maranhão.

Dono de uma capacidade técnica que permitiu uma gestão de atualização administrativa e, principalmente, da transparência sem nenhuma denúncia.

Consciente que sua missão está cumprida na direção do TCE, alinhou o entendimento democrático de formação e fortalecimento de uma nova chapa para a eleição no dia 19 de dezembro de 2018.

Nova composição apresenta os conselheiros Nonato Lago na presidência, Washington Oliveira na vice-presidência, Alvaro César na corregedoria e Caldas Furtado na ouvidoria.

Verdade que nos bastidores o ex-presidente Edimar Cutrim tenta formar uma chapa com intuito de dominar novamente o tribunal responsável em analisar as contas dos gestores nos poderes estadual e municipal.

Rusgas antigas e a galopante eleição dos dois filhos para mandatos na Assembleia Legislativa do Maranhão e na Câmara dos Deputados podem barrar as pretensões do conselheiro Cutrim.

Louvável saber do comportamento de homens públicos sem a sede de perpetuação nos cargos . Exemplo de Caldas Furtado fica no registro da história de como deve ser a mudança no Maranhão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.